Viva. As Cidades

Parabéns, Curitiba!

326 aninhos de vida

De acordo com as minhas estatísticas, são 218 anos com céu nublado, 93 de chuva, 9 de sol, 6 de sol e chuva no mesmo dia, dois dias de neve e um dia de sol sem nuvens. Nenhuma super lua, nenhum eclipse solar, nenhum eclipse lunar, nenhum cometa… Nada disso em terras curitibanas devido a suas caprichosas nuvens. Por que estou começando o post falando isso? Porque eu, que sou de Brasília e que já passei mais de 20 anos aqui, eu que odeio frio e chuva e céu cinzento, aprendi a gostar da cidade apesar desse tempo lazarento (pra definir usando uma expressão bem daqui)!

Foto do clássico Jardim Botânico comprovando o dia de sol em Curitiba, ele existiu! (Foto: Rafael Belli Soares)

Brincadeiras e exageros à parte, preciso admitir que Curitiba é muito mais que isso; é uma cidade de tirar o chapéu! E este mês de março ela está de parabéns; por isso o post, em comemoração ao aniversário – não esperem ver críticas negativas neste espaço.

A capital paranaense é reconhecida nacionalmente e acredito que mundialmente pela qualidade de vida, pelas belezas arquitetônicas, pelo povo Continue lendo

Bosque Alemão

A bruxaria que encanta quem conhece!

O Bosque Alemão fica no Bairro Vista Alegre, no Jardim Schaffer, numa área de fundo de vale de 38.000m². Trata-se de uma homenagem aos vários imigrantes dessa etnia que se estabeleceram na cidade no século 19. Essa casinha bonitinha que fica na entrada superior é o Oratório Bach (homenagem ao compositor alemão Johann Sebastian Bach); é uma réplica de uma igreja presbiteriana de 1933 que existiu no Bairro Seminário e nela funciona uma sala para concertos musicais com capacidade para 100 pessoas.

Foto tirada no natal de 2018 pelo Rafael Belli Soares

Nesse dia o Oratório estava todo enfeitado porque recebeu a instalação da Cidade do Pão de Mel: nove biscoiterias locais se uniram e fizeram a reprodução dos principais pontos turísticos de Curitiba em biscoitos, uma graça! Continue lendo

Turistando por Curitiba: dobradinha Ópera de Arame + Parque Tanguá

Parte II

Continuando (finalmente!) a parte II do post, depois do nosso almoço na Ópera de Arame pegamos o carro e em cinco minutos chegamos ao Parque Tanguá. O trajeto é mesmo bem curto; de Uber sai por menos de cincão!

O Parque Tanguá

Inaugurado em novembro de 1996, representa mais uma etapa do projeto de preservação do curso do Rio Barigui, da qual também fazem parte os parques Tingui e Barigui. A área total de 235 mil m² abrange um grande jardim, pista de cooper, ciclovia, lanchonete, mirante, dois lagos, cascata… Aprazível e fotogênico, como um bom parque deve ser!

De cara já se vê a beleza do parque! (Foto: Rafael Belli Soares – Foto tirada em março de 2019)

Quem chega no Tanguá pelo estacionamento de cima se depara com o Jardim Poty Lazzarotto, inaugurado em 1998. O Poty é um artista plástico curitibano cuja arte está espalhada em forma de grandes painéis pelos quatro cantos da cidade – seria digno de um post Continue lendo


1 2 3 12
© 2019 VivacidadesDesenvolvido com por