Viva. As Cidades

Bosque Alemão

A bruxaria que encanta quem conhece!

O Bosque Alemão fica no Bairro Vista Alegre, no Jardim Schaffer, numa área de fundo de vale de 38.000m². Trata-se de uma homenagem aos vários imigrantes dessa etnia que se estabeleceram na cidade no século 19. Essa casinha bonitinha que fica na entrada superior é o Oratório Bach (homenagem ao compositor alemão Johann Sebastian Bach); é uma réplica de uma igreja presbiteriana de 1933 que existiu no Bairro Seminário e nela funciona uma sala para concertos musicais com capacidade para 100 pessoas.

Foto tirada no natal de 2018 pelo Rafael Belli Soares

Nesse dia o Oratório estava todo enfeitado porque recebeu a instalação da Cidade do Pão de Mel: nove biscoiterias locais se uniram e fizeram a reprodução dos principais pontos turísticos de Curitiba em biscoitos, uma graça!

Nem da “Torre da Telepar” esqueceram! (Foto: Rafael Belli Soares)

(Foto: Luiza Nascimento Mendonça)

O Oratório também conta com sanitários e, na lateral, com uma lanchonete com produtos típicos alemães. Preciso fazer outros parênteses no post pra indicar os biscoitos artesanais da Erika! Eles não são baratos, mas são um clássico da cidade e reconhecidos pela qualidade e sofisticação. No site deles dá pra ter ideia da história da marca; sair com um pacotinho é recomendadíssimo!

(Foto: Luiza Nascimento Mendonça)

Continuando: ao lado do Oratório vem uma passarela que passa por uma cascata em degraus e que cai num mirante, que fica sobre a chamada Torre dos Filósofos, que tem 15m de altura e estrutura em troncos de eucalipto. A vista da torre é linda; dá pra ver que Curitiba tem muito, muito verde predominando sobre o concreto.

(Fotos: Rafael Belli Soares)

Início do Caminho dos Contos e ao fundo a Torre dos Filósofos. Essa foto foi turada num outro dia – cinza! (Foto: Rafael Belli Soares)

Descendo essa torre chega-se ao Caminho dos Contos, uma trilha pelo interior do bosque, na qual é reproduzida a história de João e Maria (Hänsel und Gretel, em alemão) dos irmãos Grimm, de 1812. Os versos da história são pintados em azulejos, como esses que vocês veem na foto abaixo.

Esquerda: Parte do trajeto do Caminho dos Contos / Direita: Uma das ilustrações da história João e Maria (Foto esquerda: Luiza Nascimento Mendonça – Foto direita: Rafael Belli Soares)

Na outra foto, a Casa da Bruxa (ou, Casa de Contos, ou, ainda, Casa Encantada), que também fica no percurso. Ela funciona como biblioteca infantil e espaço de conto de histórias para crianças (feito de maneira teatralizada, por bruxas e fadas). Mais infos sobre esta atividade, que ocorre quase diariamente, vocês encontram aqui.

Casa Encantada (Foto: Rafael Belli Soares)

Ao final da trilha chega-se à Praça da Cultura Germânica, onde fica o Portal Alemão, que é uma reconstituição da Casa Milla, uma casa construída no início do século na Rua Barão do Serro Azul e que representa a arquitetura alemã. Segundo o site da Prefeitura, a varanda utilizada na réplica é a original.

Vista frontal da reprodução da fachada da Casa Mila. (Foto: Rafael Belli Soares)

Parte posterior da fachada. OK, o céu foi um pouquinho editado pelo Rafa! (Foto: Rafael Belli Soares)

Deu pra ver que a extensão da nossa dobradinha por Curitiba (Ópera de Arame + Parque Tanguá) pode tranquilamente incluir o Bosque Alemão, né? Uma “tribladinha”, eu diria!

 

Você pode também gostar

Deixe seu comentário

© 2019 VivacidadesDesenvolvido com por