Viva. As Cidades

Casarões de Curitiba – Parte 1

Começando o caminho

Nossa capital paranaense é de fato uma cidade linda, com muitos parques, boas opções gastronômicas, vida noturna, comércios dos mais variados, povo gentil… E se você pensou: “é, mas o céu é cinza!”; verdade, muitos dias cinzas; porém, para contrastar com o céu melancólico, casarões coloridos com arquiteturas imponentes e cheios de história entram no cenário e fazem de Curitiba um charme! É sobre isso que vou falar nestes três posts.

Casarões, palácios, palacetes e até castelos! As construções que você não pode deixar de apreciar em Curitiba!

PALACETE LEÃO JUNIOR

Localizado na Av. João Gualberto, 530, o Palacete também conhecido como Solar dos Leões chama a atenção por sua quantidade de detalhes, com uma arquitetura eclética, com elementos neoclássicos e renascentistas.
Obra executada pelo engenheiro Cândido Ferreira de Abreu, concluída em 1902, abrigou a família Agostinho Ermelino de Leão Junior (um dos grandes responsáveis pelo desenvolvimento do período “ouro verde” – erva mate paranaense) e hoje é o Espaço Cultural do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).
Se você quiser visitar o ambiente, você pode entrar sem gastar um real – entrada gratuita – e sair com uma bela experiência, já que o interior é tão lindo quanto a parte externa.
Sem dúvidas, a centenária azulzinha tem todos os atrativos para uma visitinha!

Foto: Rafael Belli Soares

SOLAR DO BARÃO

Do azul para o vermelho bordô, do Alto da Glória para o Centro, da erva para a erva (erva-mate, ok?). A construção de 1880 também foi construída para servir um ervateiro da época, o Barão do Serro Azul (o Ildefonso Pereira Correia).

Somente em 1975 a Prefeitura de Curitiba adquiriu o imóvel e o transformou em um complexo cultural. Hoje conta com uma gibiteca, Museu da Fotografia Cidade de Curitiba, Museu da Gravura Cidade de Curitiba, Museu do Cartaz e otras cositas más. Ou seja, não é só um corpinho bonito, é muita cultura também!

Foto: Rafael Belli Soares

PALACETE VILLA SOPHIA

Ao lado do Shopping Mueller, esquina da Mateus Leme com a Barão de Antonina, mais um belíssimo palacete de Curitiba. Sophia e Guilherme Lindroth foram os primeiros proprietários da casa (1896). A casa possui aproximadamente 750m² em um estilo eclético. Depois de 4 décadas, foi vendida para a Mitra Diocesana de Curitiba e nos anos 70 também foi utilizado pelo pensionato das Irmãs Passionistas. Infelizmente, ela caiu no esquecimento após a mudança de local dos seminaristas, e foi alvo de muito vandalismo durante seu abandono. Graças a um grupo de advogados (quem diria!) que hoje toma conta do pedaço (Vernalha Guimarães & Pereira Advogados), em 2010 foi investida uma graninha, foi contratada uma arquiteta (Ivilyn Weigert) e toda a casa foi restaurada. O resultado ficou belíssimo! Hoje em dia ninguém se atreve mais pichar o muro do palacete, nem pensar em cutucar casa de marimbon… Advogados!

Foto: Rafael Belli Soares

CINEMATECA

Luz, câmera e ação! A Cinemateca de Curitiba é o cinema mais “cult” da cidade! Sabe aqueles filmes alternativos que quase não chegam nas telas dos cinemas tradicionais? Então, lá você encontrará esse tipo de produção. Hoje ocupa 3 casas, duas delas antigas (sozinhas não chegam a ser casarões, mas a união faz a força e por isso considero a presença delas neste post).
O local faz um trabalho muito interessante; tudo o que você imaginar no quesito cinema, você encontra lá: preservação de material histórico, exposições permanentes, cursos, filmes (claro!)… Com destaque para o cinema local. Um dos grandes feitos que gerou uma projeção nacional foi o de pesquisa e recuperação de filmes antigos, permitindo resgatar os primeiros filmes paranaenses.

Foto: Rafael Belli Soares

MUSEU PARANAENSE (PALÁCIO SÃO FRANCISCO)

Pela pesquisa feita por mim, chego à conclusão que o nome poderia ser Museu Nômade Paranaense, já que é a sétima sede em que o museu se instala (1876 – antigo Mercado Municipal no Largo da Fonte; 1900 – Assembleia Legislativa, atual Biblioteca Pública; 1913 – Salão (teatro) Tívoli; 1928 – Rua Buenos Aires, 200; 1965 – Rua 13 de Maio, entre a Barão do Serro Azul e Riachuelo; 1974 – Antigo Paço Municipal, na praça Generoso Marques)! Hoje a história do Paraná é retratada por mais de 400 mil itens além da outra sede, localizada no km 17 da estrada que liga Curitiba / Campo Largo.

Foto: Rafael Belli Soares

PALÁCIO GARIBALDI

Já ouviu falar do bloco de carnaval de Curitiba, Garibaldis e Sacis? Nesse link você encontrará um pouquinho da história deles. Mas, voltando, o nome do bloco remete ao trajeto por onde ele inicialmente passava aqui na capital paranaense – do Saccy Bar até a Praça Garibaldi, onde se encontra o Palácio. Minha opinião, uma das obras mais bonitas da cidade! Sua construção teve início em 1887 e em 1904 foi concluída. Porém, somente em 1932 é que a fachada ficou pronta (projeto do arquiteto João de Mio). Hoje, o luxuoso monumento, com sua arquitetura neoclássica, é tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná e realiza eventos particulares.

Foto: Rafael Belli Soares

CASTELO HAUER

Esse primeiro castelo de que irei falar de Curitiba (sim, tem outro!) foi construído para ser residência da tradicional família Hauer. Hoje a sede pertence a uma universidade. Se você está pensando: “Isso não é um castelo!”, calma! Não é um castelo da Disney, ou nenhum castelo da Alemanha, Espanha, mas é conhecido como castelo sim, e para comprovar, tem até uma torre (nem todos que passam pela rua conseguem ver, mas tem! Foi construída para que José Hauer Senior pudesse observar a Serra do Mar.

Infelizmente, mais um monumento vítima das pichações (Foto: Rafael Belli Soares)

Não pensem que termina por aqui! Ainda nem falei do principal castelo de Curitiba! Continuarei falando dos casarões na parte 2 e parte 3.

Você pode também gostar

Deixe seu comentário

7 Comentários

  • Osmar Teixeira
    22 janeiro, 2019

    Oi Rafael que postar Edifícios antigos de Curitiba

    • Rafael
      Rafael
      23 janeiro, 2019

      É uma boa ideia! =)

  • […] Praça do Homem Nu); além disso, fica bem próximo do Palacete Leão Júnior, do qual já falamos aqui. Perto de tanta coisa, vale a pena reservar alguns minutinhos para conhecer o […]

  • […] Guimarães, presidente do Internacional Foot Ball Club, alugou da família Hauer (olhem eles aqui novamente!) uma chácara no Baixadão do Água Verde por um período de 10 anos. Em 1914 ele […]

  • […] nenhum uso; até que, no início de 1974, passou a ser a sede do Museu Paranaense (já falei dele aqui no blog também). O museu ficou instalado no local até 2002, após esta data, vieram mais cinco […]

  • Márcia Genaro Marinho
    07 novembro, 2018

    Amo esses casarões. Vou deixar aqui uma sugestão de um casarão onde conheci por dentro, e é maravilhoso.
    Fica ali na Alameda D. Pedro II próximo ao Shopping Batel.
    Vale a pena fotografá-lo também.

    • Rafael
      Rafael
      08 novembro, 2018

      Obrigado Márcia! Vou ficar antenado! Estou juntando as sugestões para um futuro post! =)

  • © 2019 VivacidadesDesenvolvido com por