Viva. As Cidades

As confusões de uma Sagrada Família

Bastidores da obra ainda inacabada de Gaudí

Um dos mais importantes cenários de Barcelona – se não o principal – é a Basílica da Sagrada Família. Particularmente é nossa queridinha: foi nossa vizinha durante dois anos e criamos um laço de amizade intenso! E por isso resolvemos escrever aqui o que talvez muita gente não saiba. Ela e um filho adolescente têm uma coisa em comum: trazem muita dor de cabeça para os responsáveis!

Fachada do Nascimento – 2016 (Foto: Rafael Belli Soares)

Ela começou a ser construída em 1882; em 1883, o tão famoso arquiteto Antoni Gaudí tomou conta do projeto, mudou tudo e projetou como bem entendia. Ok, isso não é tanta novidade.

Sagrada Família no ano de 1925 (Foto: www.archdaily.com.br)

A basílica continua em construção até hoje, com previsão de término para 2026 – em homenagem aos 100 anos da morte do arquiteto. Mas muita gente só acredita nesta informação, vendo!

Vocês sabiam que ainda nem começaram a construir a fachada frontal da igreja? Pois é! As duas fachadas que já conhecemos, com as 4 torres cada, são as laterais do monumento; a outra, onde mais uma baita torre está sendo erguida (Torre de Maria), é a parte posterior!

Continue lendo

Sete truques para não surtar no Mercat de La Boquerìa, em Barcelona

Pra manter a calma no mar de gente e desfrutar desse fantástico mercado sem cair em frias!

O Mercat de Sant Josep, conhecido como La Boquerìa, é sem dúvidas um must see de Barcelona. Conhecer a cidade e não visitá-lo seria como ir a Paris sem ver a Torre Eiffel – o que também significa que a experiência turística pode se tornar um pouco estressante pela superlotação e que alguns preços podem ser exploradores. É com base nisso que fazemos esse post; para que vocês possam desfrutar da visita a esse local extraordinário!

Frente da Boquería (Foto: Rafael Belli Soares)

1 – Tenham em mente que no verão o lugar recebe (muito) mais gente: já falamos em outro post sobre a melhor época para visitá-lo. Mas, se você está na cidade justamente nessa época de “fervo”, a dica que damos é escolher horários como o de abertura (perto das 8h) ou fechamento (em torno 20h). Sinceramente, evitaríamos almoçar por lá nessa época, a não ser que você seja alguém que não se importa de esperar (bastante, e no meio de um formigueiro) para ser atendido!…

2 – Por falar em horário de fechamento, é nele que se encontram as melhores pechinchas de suco! Os vendedores começam a gritar loucamente fazendo ofertas dos deliciosos sucos de frutas que não foram vendidos – e é muito suco, um melhor que o outro (muito amor pelo de pitaya com côco). Nesse horário dá pra comprar sucos a 1 euro ou promoções de 2×1.

Sucos dos mais variados sabores (Foto: Luiza Nascimento Mendonça)

3 – E por falar em sucos, em qualquer horário é possível perceber que os das barracas do fundo são mais baratos. Com o euro ao valor astronômico que está na comparação com o real, uns passinhos a mais por uma economia de 0,50¢/1 € vale, né?

Continue lendo

Barcelona de janeiro a janeiro

Programas mês a mês para se sentir um local na capital da Catalunha

Este é um post que publicamos em setembro de 2017, quando ainda morávamos em Barcelona, para o blog On the List. Ficou um apanhado de informações super útil para quem visita a cidade em qualquer época do ano e quer se aprofundar na cultura local.

Segue então a reprodução (adaptada) do texto – que apesar do ano que passou, segue atualizadíssimo!:

Existem várias maneiras – e diferentes pontos de vista – de se conhecer bem uma cidade. Nossa visão da capital da Catalunha abrangeu quatro estações e mais alguns meses (os quase dois anos em que moramos lá), o que foi o bastante para perceber que ela vai além do modernismo de Gaudí, das lojas do Passeig de Gracia e da praia de Barceloneta.

A chegada do outono nos inspirou a fazer esse post com dicas do que fazer de melhor pela região em cada época do ano; sempre de modo a se sentir um pouco mais local e menos turista nesse pedaço de terra tão visitado pelo mundo todo (houve um cálculo que apontou para 80 milhões de visitantes em 2017!!!).

Então vamos ao que interessa: o que fazer em Barna para além do feijão-com-arroz dos guias turísticos.
JANEIRO: friaca! Mas é quando a cidade tem poucos turistas. Uma boa oportunidade pra encarar o mercado de Sant Josep (“La Boquería”) sem muita muvuca – em vez de se sentir uma sardinha enlatada, deguste uma porção de sardinhas em escabeche no balcão do concorridíssimo El Quim. No dia 6 tem o feriado do Día de Reyes; a criançada fica louca pra ver a cavalgada que os reis magos fazem pela cidade (eles passam atirando guloseimas) e os adultos fazem filas nas padarias (forns de pa) pra comprar o roscón de reyes. Quem acha a fava dentro do bolo, paga a conta (o bolo).

Festa de Santa Eulälia – noite de encerramento, janeiro de 2016 (Foto: Rafael Belli Soares)

FEVEREIRO: festas de Santa Eulália, a padroeira de Barcelona. Tem apresentações culturais pela cidade toda e espetáculos de luzes, bem bonito de ver. Além disso, muitos museus e lugares turísticos operam de portas abertas.
MARÇO: temporada de calçots! É tipo uma cebola que tem gosto de aspargo (nossa humilde impressão) e tem todo um ritual para comer. Vale a pena provar, em Barcelona (no El Disbarat, por exemplo) ou mesmo ou em alguma chácara nos arredores, as chamadas masías. Pra acompanhar: pão com tomate (em catalão: pa amb tomàquet, que se fala “pántumaca”), que, aliás, é guarnição de 10 entre 10 pratos locais.
ABRIL: se for páscoa, não espere ver muitos ovos, mas, isso sim, esculturas belíssimas de chocolates nas patisserias. As da Patisseria Escribá são um clássico. Outro dia celebradíssimo é o 23, dia de Sant Jordí (São Jorge), o padroeiro da Catalunha. Barracas de livros e rosas, muitas rosas, espalhadas por toda a cidade, já que a tradição manda casais e amigos trocarem estes objetos entre si.

Casa Battlló enfeitada para o Dia de Sant Jordí, 2017 (Foto: Rafael Belli Soares)

Continue lendo


1 11 12 13
© 2019 VivacidadesDesenvolvido com por